Ínicio / Últimas Notícias / Forças de Segurança realizam operações no Rio

Forças de Segurança realizam operações no Rio

Participam das ações 3700 militares das Forças Armadas, 200 policiais militares e 90 policiais civis.

O Comando Conjunto, em apoio à Secretaria de Estado de Segurança, realiza, na manhã desta quarta-feira, operações de segurança ostensiva na região do Complexo do Lins de Vasconcelos (Zona Norte) e nas Comunidades do Pavão-Pavãozinho, Cantagalo, Babilônia e Chapéu Mangueira (Zona Sul). As ações de cerco, estabilização dinâmica das áreas e remoção de barricadas fazem parte das medidas implementadas pela Intervenção Federal na Segurança Pública. São conduzidas revistas de pessoas e de veículos, além da checagem de antecedentes criminais.

PUBLICIDADE

 

Na operação, a Polícia Militar é responsável pela verificação de denúncias de ostensividade criminosa e de outras condutas ilícitas, pela realização de vasculhamentos e o bloqueio de vias de acesso na região. Já a Polícia Civil cabe cumprir mandados judiciais.

Participam das ações desta quarta 3700 militares das Forças Armadas, 200 policiais militares e 90 policiais civis, apoiados por meios blindados, aeronaves e equipamentos de engenharia. Algumas vias e acessos na região poderão ser interditados e setores do espaço aéreo poderão ser controlados, oportunamente, com restrições dinâmicas para aeronaves civis.

No Complexo do Lins, além da área diretamente abrangida pelos efeitos das ações, beneficiam-se também as populações dos bairros do Engenho de Dentro, Encantado, Méier, Sampaio, Vila Isabel, Andaraí e Água Santa. Na Zona Sul do Rio, estão sob a área de influência das comunidades onde as operações são conduzidas os bairros de Copacabana, Ipanema, Lagoa, Jardim Botânico, Leblon, Humaitá, Botafogo, Urca e Leme.

O chefe de Comunicação do Comando Militar do Leste, Coronel Cinelli, disse a diferença da operação no Complexo do Lins é a o prosseguimento, a pedido da Secretaria de Segurança do Rio, no realinhamento da Polícia Militar, pelo 3º BPM, naquela área, em volta do Maciço da Covanca. Segundo ele, a ação é feita a exemplo do que foi realizado pelo 18º BPM na Cidade de Deus e na Praça Seca.

Cinelli também falou dos detalhes da operação na Zona Sul do Rio.

Na Zona Sul, nós estamos entrando na comunidade Pavão-Pavãozinho, em especial, pois lá é o centro de gravidade. Temas essa finalidade, porque há muito tempo a polícia não entra na comunidade para cumprimento de mandados. Então há mandados acumulados para serem executados pela Polícia Civil, que são de toda a natureza, que vão de criminalidade até prisão por pensão alimentícia e Lei Maria da Penha. No Chapéu-Mangueira e Babilônia já existe um patrulhamento dos fuzileiros navais – afirmou o Coronel.

A ação também foi destaca por Cinelli do ponto de vista topográfico da Zona Sul.

Há um grande movimento de elevações, de um grande maciço, que abrange as comunidades da Babilônia, Chapéu-Mangueira, Pavão-Pavãozinho e Cantagalo. Nós atuamos para fechar esse cerco. Vejamos que a população beneficiada será muito grande, porque se analisarmos a área do Pavão-Pavãozinho, a comunidade tem uma influência relevante sobre diversas áreas da Zona Sul. Depois que nós sairmos de lá, o patrulhamento vai intensificar, para que a criminalidade não volte a estar ostensiva, como moradores de Copacabana tinham denunciado  completou.

Grajaú-Jacarepaguá fechada

Diante da realização da operação das Forças de Segurança no Complexo do Lins de Vasconcelos, a Autoestrada Grajaú-Jacarepaguá está fechada na manhã desta quarta-feira. Os motoristas devem utilizar a Linha Amarela ou o Alto da Boa Vista.

Fonte: Jornal Extra

Além disso, verifique

Mulher morre baleada no Recreio dos Bandeirantes, no Rio

As informações iniciais são de que a vítima estaria em uma moto. Uma mulher morreu ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *