Ínicio / Cidade / Estação da Guia de Pacobaíba: “Revitalização fracionada é viável” Afirma Zé Augusto Nalin

Estação da Guia de Pacobaíba: “Revitalização fracionada é viável” Afirma Zé Augusto Nalin

Inaugurada em 1854, estação da Guia de Pacobaíba continua aguardando decisão o IFHAN.

Após o processo de demolição dos barracões e limpeza da área, a Prefeitura Municipal de Magé continua aguardando a autorização do IFHAN, para revitalizar o patrimônio local.

Zé Augusto Nalin, interessado no destino de revitalização da área, o plano proposto no acordo, é dispendioso e fora das possibilidades de realização da forma que fora colocado, e explica: “A recuperação do trecho entre Guia de Pacobaíba e Fragoso requer financiamento elevado e passará por reformas profundas. Acredito que empregado de forma fracionada, atenderia com maior rapidez a devolução das áreas externas a comunidade, empregando obras simples de reparos, iluminação, limpeza, jardinagem e outra providências, criando espaços revigorados para visitações com lazer a disposição da população.

A pequena estação Guia de Pacobaíba, que foi desativada na década de 1960 e vem protagonizando histórias bem menos glamourosas nos últimos 50 anos. Passou por várias tentativas de revitalização, já foi invadida, teve as portas arrombadas, virou depósito de lixo e hoje está fechada, com telhado quebrado e marcas de pichação.

Em 2007, esse patrimônio foi transferido para o Iphan, assim como todo o espólio da extinta Rede Ferroviária Federal Sociedade Anônima com valor histórico.

O acordo firmado entre a prefeitura de Magé e o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) poderá ser, enfim, a partida para um novo destino, todavia, moldado dentro das possibilidades de realização do projeto. São 164 anos passados, e as providências e iniciativas de revitalização desse patrimônio importante para história da nação e da cidade de Magé, continuam no papel, se começarmos realizá-lo por partes, teremos possibilidade maior de implementarmos sua recuperação.” Afirma Zé Augusto Nalin.


Antonio Alexandre, Magé|Online.com 

 

 

 

Além disso, verifique

E agora Magé? Sem representatividade em Brasília cidade amarga abandono de obras federais (EDITORIAL)

Rodovias, projetos e novos investimentos não entraram na pauta dos eleitores mageenses. Apesar dos 453 ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *