Ínicio / Cidade / RJ tem seis policiais militares mortos nos cinco primeiros dias de 2017

RJ tem seis policiais militares mortos nos cinco primeiros dias de 2017

Em Guapimirim, o sargento reformado Francisco Assis de Aguiar trabalhava como segurança, quando foi assassinado durante uma tentativa de assalto

screen-20-46-5805-01-2017

Nos cinco primeiros dias de 2017, seis policiais militares foram mortos no Rio de Janeiro. A vítima mais recente é o PM Marcelo Abdalla Neder, de 34 anos, baleado na madrugada desta quinta-feira (5), na rodovia Presidente Dutra. De acordo com a PRF (Polícia Rodoviária Federal), homens armados roubavam caminhões de carga na rodovia, quando abordaram o veículo em que o policial estava. Eles trocaram tiros com os suspeitos e o PM Abdalla morreu no local.

Além da vítima, outros dois policiais estavam no carro e ficaram feridos. Eles foram socorridos e levados para o Hospital da Posse, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. Os policiais seguiam para o trabalho na UPP (Unidade de Polícia Pacificadora) do Lins, na zona norte do Rio.

Horas antes, uma tentativa de assalto a uma joalheria na Tijuca, na zona norte, vitimou mais um policial militar. Por volta das 20h30, quatro criminosos armados tentaram invadir uma joalheria. O PM Jefferson Cruz Pedra, de 37 anos, estava de folga e reagiu ao assalto. De acordo com a polícia, ele atingido por, pelo menos, sete disparos.

Além do PM, outras duas pessoas ficaram feridas. Os três foram levados para o Hospital do Andaraí, também na zona norte, mas o policial não resistiu. Pedra era natural da Bahia e trabalhava no batalhão de Jacarepaguá (18º BPM).

O primeiro PM morto em 2017 foi o soldado André William Barbosa de Oliveira, de 32 anos. Ele estava em uma festa de Réveillon em Realengo, na zona oeste, quando foi abordado por criminosos. Segundo a polícia, ele estava armado e portava a carteira funcional que o identificava como PM.

Após ser identificado, o soldado Oliveira teria sido levado para o morro da Quitanda, na zona norte, e assassinado a tiros. Seu corpo foi encontrado no porta-malas de seu próprio carro em Guadalupe, também zona norte, na manhã de domingo (1º).

No dia seguinte, primeiro dia útil do ano (2), três PMs morreram. O soldado Antônio Carlos Paiva Nunes, de 34 anos, teve a morte teve a morte cerebral confirmada pelos médicos. Na manhã de domingo (1º), ele foi baleado na cabeça, próximo a favela de Manguinhos, na zona norte. Nunes trabalhava na UPP (Unidade de Polícia Pacificadora) do Andaraí e estava de serviço na CPP (Coordenadora de Polícia Pacificadora) quando foi atingido. Ele chegou a ser levado para o Hospital Quinta D’or, em São Cristóvão, mas acabou morrendo na tarde de segunda-feira (2).

Também na tarde de segunda-feira (2), outros dois policiais foram assassinados na Baixada Fluminense. O cabo Cleiton William Santos de Freitas, passava de carro na estrada do Tinguá, em Duque de Caxias, quando foi atacado por criminosos. Ele era lotado no Batalhão de Duque de Caxias (15º BPM).

Em Guapimirim, o sargento reformado Francisco Assis de Aguiar trabalhava como segurança, quando foi assassinado durante uma tentativa de assalto. De acordo com a polícia, ele e um colega transportavam um malote com dinheiro que seria levado a um banco quando foram abordados por dois homens em uma moto. Houve troca de tiros e sargento Aguiar foi atingido. Ele chegou a ser levado para o hospital, mas não resistiu.

redetvFonte: R7

 

Além disso, verifique

thumbnail_01-07-2017 - Campanha de Vacinação HPV (Fotos Gerson Peres) (6)

Saúde de Magé lança NASF no PSF Maurimárcia

Magé é um dos municípios com maior cobertura da atenção básica, de acordo com dados ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *